quarta-feira, 31 de maio de 2017

Seja feliz, todo dia!

Nos ensinaram que pra ter sucesso é necessário trabalhar duro, muitas vezes estar longe ou ausente da família, como nossos pais fizeram, e abdicar da vida pessoal e do que nos faz feliz, focando 100% no trabalho. 

Hoje, enxergamos que o caminho para ter satisfação em qualquer coisa que a gente faça é viver o hoje, aproveitar mais o agora e ter clareza sobre quem somos e o que queremos da vida. E pra isso não existem modelos prontos, precisamos reinventar o trabalho e a forma como nos relacionamos com a carreira, com o sucesso, com a vida.

E as pesquisas sobre psicologia positiva já mostram que se preocupar consigo não é egoísmo. As pessoas que mais tem capacidade, financeira e psicológica, para ajudar os outros é quem está bem de verdade. Assim, elas entregam ao mundo o seu melhor, como uma compensação pelas coisas boas que vivenciam, gerando um impacto positivo em suas ações e relações. 

Quando você começa a se levar a sério, quando olha para o que realmente impacta em sua vida, quando potencializa quem você é e respeita a sua essência, você começa a realizar tudo o que sonha, vibra, deseja. Tudo começa a dar certo.

A maior barreira para que as mudanças ocorram não é a falta de oportunidades e sim o medo da mudança. O medo prende as pessoas, faz com que elas resistam às mudanças e fiquem presos à padrões, que muitas vezes já não servem mais.

E quem disse que para mudar precisamos mudar tudo de uma única vez? 

Normalmente mudamos quando algo chega no limite. Esperamos demais e quando vemos não dá mais tempo de agir com calma, com leveza. E isso pode ser um desastre1


Os principais sinais de que sua carreira não vai bem:

  • Tristeza aos domingos.
  • Sexta-feira é o dia feliz. Mas tudo é melhor do que trabalhar, inclusive ficar doente!
  • A vida está chata, sem graça e você reclama de tudo.
  • No trabalho, tudo o que você gosta de fazer não tem relação nenhuma com o trabalho em si.
  • Você sempre está procurando emprego ou oportunidades de empreender, correndo inclusive o risco de ir para algo pior.
  • Sua saúde, qualidade de vida, amigos e familiares não são prioridade. Aliás, como encaixá-los na agenda é sempre sua dúvida. Não dá tempo pra isso.
  • O que é propósito? Você não faz ideia. Sente que algo está faltando, mas não sabe o que é. Pra que você trabalha? Pra pagar as contas do mês e olha lá.
  • Faz compensações, consciente ou inconscientemente. Se não tem felicidade no trabalho, melhor ser feliz de outra forma: compras, comida, jogos, bebida.
  • Desafios, crescimento, orgulho da sua carreira. Quanto tempo que você não sente isso?
  • Não faz ideia de como será seu futuro profissional. A única coisa que você tem certeza é que não quer continuar como está.
 
Seja feliz, todo dia!

sábado, 9 de julho de 2016

10 RAZÕES PARA NAMORAR UM MOTOCICLISTA


1. Temos um senso de aventura maior
Você conhece o velho clichê sobre gostar de longas caminhadas na praia? Pois nós gostamos de longos rolés na praia, montanhas, desfiladeiros, desertos… Sempre teremos algo para desfrutar em praticamente qualquer destino de viagem. Nos dê uma boa estrada e um belo destino, e estamos prontos. Esqueça passagens aéreas caras, hotéis e restaurantes cinco estrelas… A gente já fica feliz de comer em uma boa lanchonete ao final de um dia inteiro pilotando.
2. Nós não morremos de medo do mundo à nossa volta
Motociclistas são lembrados constantemente da sua mortalidade: “meu parente/irmão/amigo/amigo do meu amigo morreu andando de moto” ou “esse negócio é perigoso, sabia?”. Sim, a gente sabe. Mas a gente também sabe que podemos morrer andando a pé na rua, em um avião ou por alguma doença ou vírus qualquer. E isso nos leva de volta ao item nº1 da lista: queremos nos divertir e tentar coisas novas.
3. Somos bons controlando orçamentos
Claro, cada um de nós tem maneiras diferentes de fazer isso… Mas todos nós sabemos como controlar um orçamento. Aquele upgradena moto pode custar mil reais, mas a gente vai largar mão de comprar roupas novas ou de sair para jantar fora por algumas semanas para conseguir o dinheiro. Nós vamos entender quando você não quiser gastar R$200 naquele restaurante cinco estrelas da moda, e vamos ficar empolgadíssimos se você preferir fazer um churrasco ou trocar um óleo na garagem (com duplo sentido e tudo).
4. Nós gostamos das pequenas coisas da vida
O som por detrás do topo de uma montanha coberta de neve, um pequeno tufão de poeira no horizonte, a névoa deslizando pelo campo, esses são os momentos que mexem com o nosso coração. A transição de uma asfalto danificado pelo clima para um asfalto novinho deixa a gente muito feliz. Esqueça as reclamações constantes, a gente sabe como olhar para o lado bom da vida.
5. Somos dedicados
Para muitos, andar de moto não é só mais uma maneira de chegar ao trabalho… É um estilo de vida. Um que vai ficando cada vez melhor quando você dedica mais tempo a ele, o que geralmente não é fácil. Não é algo que você consegue largar com um estalar de dedos, e esse tipo de dedicação costuma transbordar para outras áreas das nossas vidas. Quando as coisas ficam difíceis, motociclistas continuam em frente. Estamos sempre dispostos a ajudar outros motocliclistas, e geralmente temos um grande senso do mundo ao nosso redor. E que diabos isso quer dizer? Quer dizer que nós ajudamos uns aos outros. Não se meta com a família dos motociclistas.
6. Somos observativos
Nossas vidas dependem de olhar para tudo ao nosso redor e de enxergar o que estamos vendo, por isso você vai estar mais seguro ao nosso lado. Se algum dia servirmos de motorista para você em um carro, você pode ter certeza de que a gente ESTÁ vendo aquele idiota prestes a nos fechar. A gente sempre lembra de olhar para os dois lados, e fazemos nossa checagem “pré-vôo”, e a gente sempre se lembra de buscar aquele item no caminho de casa (apesar de escolhermos o caminho mais longo).
7. Somos adaptáveis
Surgiu um imprevisto? Sem problemas. Teve que cancelar os planos? Tranquilo, a gente vai sair em um encontro com o nosso primeiro amor… Nossa moto. Quando você se acostuma com a estrada, você se acostuma a ir com a maré. Pneus furados e baterias arriadas acontecem, então a gente entende sobre imprevistos e como fazer as coisas funcionarem.
8. Não somos grudentos
Mensagem de texto de hora em hora? Provavelmente não, a gente está muito ocupado andando de moto ou trabalhando para pagar nossa próxima viagem/revisão/upgrade. Ser motociclista dá um certo nível de independência, o que nós permite ter nossas próprias vidas dentro de um relacionamento.
9. Fazemos as melhores massagens
Em sua maioria, as mãos de um motociclista não são delicadas, macias e fracas. Graças as longas horas viajando e mexendo nas motos, eles vão ter mãos mais fortes, o que significa massagens mais longas e melhores. Além disso, após horas na estrada, a gente sabe onde fica aquele nó nas suas costas. De nada.
10. Nossos gestos românticos são sensacionais
Vou usar alguns estereótipos (considere-se avisado). Claro, uma garota que faz biscoitos para você é sensacional. Mas se ela chega para entregá-los de moto para você, e ainda melhor. E lógico, um cara chegando com um buquê de rosas é adorável. Mas um cara batendo na sua porta de capacete, com uma única rosa que ele carregou nos dentes por quilômetros até chegar na sua casa, é ainda mais adorável. Golaço.

sábado, 9 de abril de 2016

Viajar de moto.....

       Viajar de moto é uma das experiências mais fascinantes que se pode ter nessa vida. Quem não tem o coração de motociclista provavelmente nunca entenderá o porque. Mas até mesmo eu ,às vezes, fico me perguntando, afinal, por que é tão bom assim? Não tenho respostas, só alguns pensamentos. 

         Em primeiro lugar, viajar de moto evoca sentimentos de tempos e realidades muito distantes de nós; é como se nos transportássemos para outra época e, de repente, lá estamos nós com nossa armadura, baixando a viseira de nosso elmo, preparados para uma missão distante e desafiadora. No fundo, mesmo que isso pareça meio estranho, todo motociclista se sente como um guerreiro, deixando a segurança e o conforto de sua casa para ir adiante, desbravar territórios e vencer desafios. 

          Também existe um sentimento quase místico, como se estivéssemos saindo de nossa própria vida, vendo o que há la fora. Viajar de moto é estar em movimento, é deixar a monotonia. A casa, o trabalho.

sábado, 19 de março de 2016

CONHECENDO UM POUCO MAIS AS CARACTERÍSTICAS DE UM LOBO.

          "Nessa foto os 3 primeiros lobos são os fracos e doentes. Eles dão ritmo a caminhada para todo a alcateia. Se tivesse sido de outra forma, teriam sido os últimos e seriam mortos. Em caso de ataque são as primeiras vítimas.
         Estes criam o caminho na neve para economizar energia dos que estão por trás deles. São seguidos por cinco lobos fortes que formam a vanguarda, no entanto, o centro é a riqueza do bloco - 11 lobas. Sucessivamente, os outros cinco lobos fazem a retaguarda.
         O último, quase isolado da alcateia, é o líder. Ele deve ver claramente todo o grupo, a fim de controlar, dirigir, coordenar e dar os comandos necessários."
MUNDO ALPHA
          "UMA ÓTIMA OPORTUNIDADE PARA TIRARMOS LIÇÕES DE COMO PODEMOS NOS PORTAR EM VIAGENS DE MOTO EM GRUPO, EM QUESTÕES  DE RITMO DE VIAGEM, E QUE SIRVA DE EXEMPLO PARA AQUELES QUE SE ACHAM LÍDERES DENTRO E FORA DE UM MOTO CLUBE"

domingo, 21 de fevereiro de 2016

EXPEDIÇÃO ACOCÁGUA 2015

     

MAPA DA VIAGEM E ROTEIRO BÁSICO
MAPA


ROTEIRO BÁSICO


DIA 12 -SANTANA DO LIVRAMENTO /CARAZINHO (BRA) - 650 Kms

DIA 12 -SANTANA DO LIVRAMENTO / ERECHIM (650 KMs)


     Em Santana do Livramento me hospedei no Hotel Masseilot, ótimo hotel com um preço bem acessível, e com ótimo café da manha muito diferente dos hotéis argentinos e chilenos onde o café da manhã é bem fraco isso quando tem essa opção.

    Fiz uma parada no Sineriz e depois segui para Erechim, era o ultimo dia de viagem, apenas 600 km para percorrer, a principio tranquilo, estava enganado, toda a chuva da viagem estava concentrado apenas nesse ultimo dia, somados a péssima estrada e o grande movimento de caminhões, o ultimo dia foi de desafio, com paciência e sorte cheguei a Erechim, sem maiores problemas.

DIA 11 - VILLA MARIA /SANTANA DO LIVRAMENTO (ARG - URU - BRA) - 967 Kms

DIA 11 - VILLA MARIA /  SANTANA DO LIVRAMENTO (ARG - URU - BRA) - 967 Kms


     Após uma ótima noite de sono, e um desayuno, segui até Santana do Livramento.

     Foi uma viagem bem chata em parte pelo enorme calor na estrada, cheguei cedo em Uruguaiana por volta das 17 horas, a pior parte da viagem foi perder umas 2 horas para fazer a saída da Argentina, a quantidade de Argentinos seguindo para o Brasil era enorme. Acabei levando na esportiva até porque estava voltando para a casa, e mais alguns minutos já estava no Brasil.
    
  Cheguei em Santana do Livramento, já de noite, muito cansado com muitos mosquitos suicidas na viseira, mas estava feliz, estava no Brasil, com apenas um dia de viagem para chegar em casa.

DIA 10 - SAN RAFAEL / VILLA MARIA (ARG) - 629 Kms

DIA 10 - SAN RAFAEL / VILLA MARIA - 629 KMs

     No dia seguinte acordei sedo e segui direto para o Canion del Atuel (RN 173), um lugar impressionante em todos os sentidos, o caminho é de rípio, mas foi um trecho tranquilo de percorrer, fazendo uma pequena comparação do Canion del Atuel com o canion Itaimbezinho localizado em Santa Catarina, dou nota 9 pra o del Atuel e 4 para o Itaimbezinho não só pela beleza mas em tamanho também, outro diferencial é a possibilidade de percorrer todo ele de moto, algo indescritível, para min foi o melhor lugar visitado nos 12 dias de viagem.

     Ao final temos asfalto e logo se chega ao dique Valle Grande, já fora do canion, bonito, mas nada de espetacular, essa região também é propicia para a prática de esportes náuticos, segui até a cidade de Villa Maria, até porque minha viagem esta na estrada se fosse para fazer turismo quem sabe pararia na região, pegaria um bote e desceria o Rio Atuel, mas essa opção estava fora de cogitação.

    Segui até Villa Maria, onde cheguei ao final da tarde, não havia levantado hotéis e nem tao pouco feito reservas, tive um pouco de dificuldade de achar um lugar para dormir, não pela quantidade de lugares que são muitos, mas pela condição de preço acessível e quando achava um local acessível estava lotado. Após passar por uns 6 hotéis achei um lugar interessante, residencial amanhecer, no centro da cidade.


CANION DEL ATUEL


CANION DEL ATUEL

CANION DEL ATUEL

CANION DEL ATUEL

CANION DEL ATUEL




CANION DEL ATUEL

DIA 09 - MENDOZA / SAN RAFAEL (ARG) - 444 Kms

DIA 09 - MENDOZA / SAN RAFAEL (ARG) - 444 Kms


     Após dois dias passeando em Mendoza, hora se seguir para San Rafael, a distância entre as cidades é de apenas 230 kms, mas como em uma viagem de moto o principal é o trajeto sempre e não apenas chegar logo aos destinos, me organizei para fazer alguns passeios próximos de  San Rafael, percorri 400 km de Mendoza a San Rafael, pela RN40, RN143, RN180 e RN173.


     A região possui muitos diques, pequenas represas, e algumas usinas hidrelétricas, segui pela RN40 até os diques Los Reyunos e Los Tigres, bati algumas fotos e segui até a Villa El Nihuil, um lugar muito bonito com um dique de mesmo nome, uma região onde se pratica muitos esportes náuticos. Era fim de tarde, e preferi procurar um lugar para dormir, por sorte achei uma cabana de propriedade de um casal chileno.


MAPA DA REGIÃO

DIQUE LOS REYUNOS


DIQUE LOS TIGRES

DIQUE EL NIHUIL